CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO

Coração Independente Vermelho apresenta-se sob a forma de um enorme coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, pacientemente preenchido com talheres de plástico vermelho. Suspensa a partir do eixo, a obra executa um movimento rotativo circular, evocativo dos ciclos da vida e do eterno retorno, acompanhado pelo som de três expressivos fados, Estranha Forma de VidaGaivotaMaldição, interpretados por Amália Rodrigues, diva da música portuguesa da segunda metade do século XX. O título da peça é precisamente retirado de um dos versos do primeiro fado, da autoria de Alfredo Duarte (Marceneiro) e Amália Rodrigues, cuja lírica evoca o conflito entre emoção e razão. Ao multiplicar o uso de vulgares talheres de plástico até à abstração da sua forma original, para os converter numa obra de arte inspirada numa valiosa peça de filigrana, os referentes inicias surgem transfigurados por novos esquemas sociais e artísticos sugeridos, expondo, assim, a artificialidade das fronteiras traçadas entre luxo e banalidade. Coração Independente Vermelho apresenta-se como uma poderosa e emotiva instalação sonora e cinética dedicada ao amor, um dos temas recorrentes nas líricas do fado.

CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© Luís Vasconcelos
CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© DMF, Lisboa
CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© DMF, Lisboa
CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© Luís Vasconcelos
CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© Luís Vasconcelos
CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© Luís Vasconcelos
CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHOCORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO
© Fred Ernst | Cortesia Kunsthal Rotterdam
Detalhes da Obra
DATA DE PRODUÇÃO
2005
MATERIAIS
Talheres de plástico translúcido, ferro pintado, corrente metálica, motor, fonte de alimentação, instalação sonora
INSTALAÇÃO SONORA
Canções interpretadas por Amália Rodrigues: Estranha Forma de Vida (Alfredo Rodrigo Duarte/Amália Rodrigues), Maldição (Joaquim Campos da Silva/Armando Vieira Pinto), Gaivota (Alain Oulman/Alexandre O'Neill).

Autorização de IPLAY - Som e Imagem/(P) Valentim de Carvalho.
DIMENSÕES
371 x 220 x 75 cm
COLEÇÃO
Coleção Berardo
Obra exibida em
MaximalMaximal
07/04/2019 > 04/08/2019Maximal
Ler Mais
I'm Your MirrorI'm Your Mirror
29/06/2018 > 11/11/2018I'm Your Mirror
Ler Mais
Joana Vasconcelos - Palácio Nacional da AjudaJoana Vasconcelos - Palácio Nacional da Ajuda
23/03/2013 > 25/08/2013Joana Vasconcelos - Palácio Nacional da Ajuda
Ler Mais
Joana Vasconcelos em VersaillesJoana Vasconcelos em Versailles
19/06/2012 > 30/09/2012Joana Vasconcelos em Versailles
Ler Mais
Sem RedeSem Rede
01/03/2010 > 18/05/2010Sem Rede
Ler Mais